terça-feira, 7 de maio de 2013

(In)Feliz

(In)Feliz

 Esta história que vos conto passou-se a muitos anos atrás, é a história de duas crianças que se descobrem…

 Lara é uma menina perseguida por muitos rapazes, rejeitando toda e qualquer aproximação pois tinha medo de sentir emoções, Gabriel é conhecido por se encontrar com muitas raparigas, mas no fundo é um rapaz que sente medo de ficar sozinho. Inicialmente não combinavam um com o outro, eram amigos que secretamente não se gostavam, mas isso mudou quando ele deixou de ir a escola durante uns dias, nesse tempo ela percebeu que as piadas dele foram a única razão pela qual ela riu e ele percebeu que o rosto feio dela, afinal era doce e carinhoso.

Quando ele voltou, finalmente se iniciou a conversa, e assim os seus corações começaram a aquecer; no dia seguinte eles se ignoraram completamente, ele estava confuso “será que ela gosta de mim?!”e ela estava nervosa.

 E assim veio o terceiro dia… No momento que ele chegou a escola ela engoliu toda a sua coragem e o abraçou “é o teu abraço de boas vindas que me faltava dar” sussurrou ela no seu casaco. Mais dois dias foram necessários para que a vergonha começa-se a desaparecer dos seus corações. Então o menino já não se sentia solitário, e a menina sabia que podia confiar nele; eles eram inseparáveis, falavam ao telefone até mal poderem falar e mesmo assim não conseguiam o suficiente um do outro nas suas conversas, ele cantava para ela dormir todas as noites, e ela guardava a pedrinha que ele lhe dera como símbolo do seu amor, o rosto dele ficava vermelho a cada beijo que davam, e não sentia vergonha de dizer a toda a gente o quanto a amava… Passavam cada lanche juntos, sentados na sua própria mesa, chegando até ao ponto em que silenciosamente desfrutavam da presença um do outro.

 Certo dia uma menina chamada Sofia aproximou-se de Lara e perguntou “os teus pais sabem que vocês estão a namorar?” Lara ficara envergonhada e com receio mas não respondeu pois não confiava na Sofia porque tinha ouvido rumores que Sofia tinha tentado roubar o namorado da sua melhor amiga, Gabriel também lhe dissera que Sofia espalhava rumores pela escola, que nem sempre eram verdadeiros mas que a maior parte das pessoas acreditavam.

Vários dias passaram desde a abordagem de Sofia a Lara, então numa Terça feira Sofia decide abordar Gabriel e diz-lhe que vai espalhar o rumor que a Lara perdeu a virgindade com outro rapaz, a não ser que Gabriel termine a relação, sob a condição de ele manter segredo daquela conversa senão ela espalharia o rumor a mesma.

 (Naquele tempo a virgindade era um assunto muito sério, a sociedade de então julgava as mulheres/meninas que não eram virgens, e as marginalizava, na escola não iria ser diferente caso o boato se espalha-se.)

Gabriel foi falar com Lara, e com os olhos em lágrimas disse “Lara não quero mais namorar contigo, acabou-se!”

 Foram precisos três anos até ganharem a coragem para se falar, cinco segundos para terminar tudo, e apenas um segundo para seus corações se despedaçassem e milhões de pedaços.

 Ela também começou a chorar, no fundo não acreditava que as palavras dele pudessem ser verdade, até ao momento em que Sofia aproxima-se e beija Gabriel. Lara que não era do tipo de lutar, gritou dizendo “Tu foste o único amigo e companheiro em quem eu confiei em muitos anos!”, e fugiu a chorando.

 Depois disso, Gabriel já não estava autorizado a falar com ela; ele mal conseguia sentar-se sozinho na mesma mesa do lanche, porque se lembrava o quão felizes eles eram nessa mesa, agora passam um pelo outro como dois estranhos, sem nunca trocarem olhares.

 Ela chorou vários dias seguidos, depois algumas vezes por semana, por fim poucas vezes por mês. Gabriel nunca contara sobre a ameaça de Sofia, ele nunca lhe disse que partiu o seu coração para a tentar proteger, e não se atreveu a arranjar outra menina pois sabia que era Lara a única, e foi assim que o menino ficou sozinho. A menina voltou a perder a confiança nas pessoas, e deixou de acreditar no amor.

 José Ribeiro

2 comentários:

  1. Oh Lindo,é uma bonita história...porém tão triste...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Histórias como estas tambem devem ser escritas :)

      Eliminar